CEP - Controle Estatístico de Processo
Ano I - Nº 11 - Novembro/2004
Melhoria Contínua

Olá pessoal, tudo certo? É bom estarmos juntos novamente.

A Melhoria Contínua tem como garantia a excelência dos produtos a partir das ações de correção e de prevenção, superando as expectativas do cliente. O objetivo é melhorar os resultados em três áreas: Qualidade, Custo e Serviço. Para que a solução seja eficaz, precisamos analisar bem o problema e, sobretudo, determinar corretamente a sua causa raiz, a verdadeira causa de um problema.

Empregar uma abordagem consistente, em toda a organização, para o aperfeiçoamento contínuo de seu desempenho corresponde a um de seus princípios, assim como melhorar continuamente seus produtos, processos e sistemas, detectando os problemas e suas causas. É imprescindível o treinamento do pessoal dos métodos e ferramentas de melhoria contínua. É necessário o envolvendo de toda a empresa e atuação em três componentes fundamentais: o produto, os fluxos (materiais e informação) e os equipamentos.

A partir daí é possível avaliar o desempenho através da melhoria das habilidades da organização, como também alinhar as atividades em todos os níveis. Há um aumento na flexibilidade para reagir às oportunidades. Praticar Melhoria Contínua não é mais do que eliminar desperdício e gerar lucros para a organização. Vamos lá?!


doutorcep@datalyzer.com.br
Variância e Desvio Padrão

Um aspecto importante no estudo descritivo de um conjunto de dados é o da determinação da variabilidade ou dispersão desses dados, relativamente à medida de localização do centro da amostra.

Define-se a variância, e representa-se por s2, como sendo a medida que se obtém somando os quadrados dos desvios das observações da amostra, relativamente à sua média, e dividindo pelo número de observações da amostra menos um:

Uma vez que a variância envolve a soma de quadrados, a unidade em que se exprime não é a mesma que a dos dados. Assim, para obter uma medida da variabilidade ou dispersão com as mesmas unidades que os dados, tomamos a raiz quadrada da variância e obtemos o desvio padrão:

O desvio padrão é uma medida que só pode assumir valores não negativos e quanto maior for, maior será a dispersão dos dados. É definido como o afastamento em relação a uma média próxima da aritmética.

Algumas propriedades do desvio padrão, que resultam imediatamente da definição, são:

  • o desvio padrão é sempre positivo e será tanto maior quanta mais variabilidade houver entre os dados.

  • se s = 0, então não existe variabilidade, isto é, os dados são todos iguais.

Do mesmo modo que a média, também o desvio padrão é uma medida pouco resistente, pois é influenciado por valores ou muito grande ou muito pequeno (o que seria de esperar já que na sua definição entra a média que é não resistente). Assim, se a distribuição dos dados for bastante enviesada, não é conveniente utilizar a média como medida de localização, nem o desvio padrão como medida de variabilidade. Estas medidas só dão informação útil, respectivamente sobre a localização do centro da distribuição dos dados e sobre a variabilidade, se as distribuições dos dados forem aproximadamente simétricas.

No próximo mês veremos sobre as Propriedades do Desvio Padrão. Até lá!

http://www.datalyzer.com.br