CEP - Controle Estatístico de Processo
Ano IV - Nº 40 - Abril/2007
Melhoria Contínua X Melhoria Continuada

O que é Melhoria Contínua?

A busca pela melhoria contínua nas empresas hoje é algo inevitável, como forma de evoluir constantemente os processos de trabalho, tendo como retorno a economia de tempo, gastos, re-trabalho, ou seja, a busca de eficácia dos trabalhos.

A melhoria contínua é baseada no sistema japonês, o Kaizen, o qual traduzido para o português quer dizer KAI - mudança e ZEN - bom, ou seja, a mudança para melhor. Segundo Massaki Imai idealizador do Kaizen o mesmo significa melhoramento contínuo em toda a organização.

A Liderança objetivando melhorar cada vez mais seus trabalhos adota este principio no seu dia-a-dia. Grandes empresas utilizam este processo para incentivar a participação de todos os colaboradores no crescimento da empresa e também pessoalmente.

O registro da Melhoria Contínua e o início da Melhoria Continuada

Toda a melhoria nos processos de trabalhos que resultem em facilidade para o colaborador, redução de tempo gasto na realização dos trabalhos, redução de custos para a empresa ou o aumento da qualidade dos trabalhos é uma melhoria e deve ser registrada e divulgada a todos os colaboradores envolvidos no trabalho. Assim estes terão conhecimento das alterações e para a empresa de forma a motivar outros colaboradores a participar do processo de melhoria.

A melhoria deve ser registrada após ser comprovada sua eficiência ou eficácia pelo idealizador ou equipe de trabalho envolvida, a fim de se buscar novas possibilidades de aplicação/inovação.

Segundo a consultoria Gartner, que vem divulgando a cultura das medições calcadas no ROI (retorno sobre o investimento) e no TCO (custo total de propriedade) há cerca de 25 anos, somente empresas que têm métricas constantes para quantificar seu ambiente de TI podem identificar resultados depois de mudanças. “A isso chamamos plano de melhoria continuada. Como o atleta Ben Johnson saberia que melhorou seu tempo se não o cronometrasse regularmente?”, compara Marcio Krug, diretor de negócios para a América Latina da Gartner.

Em resumo, a melhoria continuada surge quando os resultados da melhoria contínua são registrados e, através da análise destes, são definidas novas perspectivas para melhoria da qualidade.


doutorcep@datalyzer.com.br
Índice de Capacidade do Processo – CPM (Índice de Taguchi)

O informativo deste mês objetiva apresentar a importância do índice estatístico Cpm na análise de processos.

Definição

Este índice expressa a variação do alvo com base em dois componentes de variabilidade: variabilidade (desvio-padrão) e centralização do processo (média). Portanto pode ser bastante útil para o acompanhamento da variabilidade do processo com relação ao valor nominal (alvo).

Segundo Boyles (1991), Taguchi encontrou uma definição alternativa para o índice de capabilidade Cp, a qual adequa-se perfeitamente à sua abordagem da função perda. Para ver o informativo sobre a Função Perda de Taguchi e o cálculo do índice Cpm , clique aqui.

Exemplo

Com o auxílio do software Datalyzer Spectrum, coletamos dados de um determinado processo para demonstrarmos a sensibilidade do índice Cpm em relação aos índices Cpk e Cp.

A figura abaixo demonstra um processo centralizado e com baixa variação. Observe os valores dos índices estatísticos relacionados a este processo:

Processo bom
Figura 1: Processo bom.

Devido à baixa variação e à localização da média do processo no centro dos limites de especificação, os três índices informam que o processo é capaz.

Agora observe um processo semelhante que também possui baixa variação.

Processo ruim
Figura 2: Processo bom.

Devido à baixa variação, o índice Cp informa que o processo é excelente, quanto à sua capacidade. Pela localização da média do processo entre os limites de especificação, o índice Cpk informa que o processo é capaz. Mas perceba que a média está deslocada em relação ao alvo. Observando o processo da figura acima é possível identificar que os índices Cp e Cpk não são sensíveis à variação da média do processo em relação ao valor nominal, ao contrário do índice Cpm.

Conclusão

O índice de capacidade de Taguchi mede a capabilidade do processo levando em conta tanto a localização da média, como também a variação em torno do valor nominal, sendo sensível à centralização do processo.

O foco deve sempre estar em fazer o produto para atingir o alvo com variação mínima. O Cpm é o índice de capabilidade que descreve exatamente isso.

Bom trabalho e até o próximo mês!

Bom trabalho e até o próximo mês.
http://www.datalyzer.com.br